• HOME Notícias
  • ZPE do Piauí inicia exportação, com embarque de 20t de cera de carnaúba para a Espanha

    IMPRIMIR

    24.11.2022

    A Zona de Processamento de Exportação do Estado do Piauí, a ZPE Piauí, fez história mais uma vez ao concluir na tarde desta segunda-feira (21) o último ciclo que faltava no seu processo de alfandegamento, com a realização do primeiro despacho aduaneiro de produto industrializado no local. Um contêiner contendo 20 toneladas de cera de carnaúba, da indústria Agrocera, completou todo o processo de fiscalização dentro da Área de Despacho Aduaneiro (ADA) da ZPE e iniciou o seu trânsito internacional com destino ao Porto de Pecém, no Ceará, de onde seguirá para a Espanha.

    O presidente da Investe Piauí, Victor Hugo Almeida, classificou o momento de histórico, pois, segundo ele, reflete o resgate do processamento de exportação em território piauiense. A última vez que esse fato ocorreu no Piauí foi na década de 1950, quando ainda existia a alfândega do Porto das Barcas, em Parnaíba. "Há várias décadas o Piauí espera por um equipamento como esse, concretizado graças ao esforço do ex-governador Wellington Dias, da governadora Regina Sousa e do governador eleito Rafael Fonteles, que, quando secretário estadual da Fazenda, idealizou a instalação da ZPE do Piauí", explicou Victor Hugo. O presidente da ZPE Piauí, Paulo Cardoso, disse que o embarque aduaneiro do primeiro contêiner é o momento mais importante de toda a trajetória da área de livre comércio piauiense, marcando o início de uma nova etapa da economia do Estado, agora mais conectada com o comércio exterior.

    Pioneiro na ZPE, o empresário Marcelo Sombra, empreendedor da Agrocera, celebrou o início das atividades da Área de Despacho Aduaneiro da ZPE Piauí. "O processo de embarque ganha mais celeridade, e com isso a nossa empresa fica mais ágil e mais forte, podendo repassar mais benefícios para a cadeia produtiva da cera de carnaúba", disse. Antes do funcionamento da ADA da ZPE, a empresa de Marcelo Sombra utilizava a alfândega do Porto do Pecém para despachar a cera produzida na ZPE do Piauí.

    No contexto dos incentivos governamentais, o ciclo também se completou para as empresas exportadoras. "Um dos principais efeitos do início das operações aduaneiras é que as empresas aqui instaladas começam a gozar dos benefícios tributários previstos no novo Marco Legal das ZPEs, sendo a alíquota zero nas exportações um dos principais", explicou Paulo Cardoso.

    Por meio das redes sociais, o governador eleito Rafael Fonteles comemorou no domingo o início das operações aduaneiras da ZPE. "É um fato que nos orgulha e merece ser comemorado, porque abre enormes possibilidades de atração de empresas e investimentos para nosso Estado e perspectivas de novos negócios e oportunidades de trabalho, emprego e renda para os piauienses", disse.

    Para viabilizar o funcionamento da Área de Despacho Aduaneiro da ZPE do Piauí, a Receita Federal, principal órgão anuente, assumiu em definitivo o controle do recinto alfandegado, com suas atividades administrativas iniciadas nesta segunda-feira (21). "Na verdade a ZPE já vem exportando há bastante tempo. O que muda agora é o ganho de autonomia nas atividades de embaraço e desembaraço aduaneiro, deixando de depender das alfândegas dos portos e aeroportos por onde seus empresários pretendam exportar", complementou.
    Fonte: Secretaria da Fazenda do Estado do Piauí - SEFAZ-PI

    Fonte Internet: Aduaneiras, 22/11/2022